Salvador, 22 de Outubro de 2018 - Tel: (71) 2104-1959

Newsletter

Cadastre seu email para receber novidade por email.

Nome:

Email:

Fotos e Vídeos



Facebook

Noticias

Papa diz que volta ao Brasil em 2017

Postado dia 24 de Julho de 2013 às 15h46m

O papa Francisco encerrou a celebração de sua primeira missa pública no Brasil, nesta quarta-feira (24), com a imagem de Nossa Senhora Aparecida nas mãos. Antes de deixar a basílica, o pontífice caminhou com a imagem nos braços e parou para cumprimentar e abençoar cadeirantes que acompanharam a cerimônia. Fiéis próximos se aglomeram para tocá-lo e tirar fotos. De acordo com a agenda oficial, ele segue nesta tarde para o Seminário Bom Jesus. Antes, no entanto, o papa Francisco foi até a Tribuna Bento XVI, onde agradeceu e abençoou as cerca de 200 mil pessoas que acompanharam a missa do lado de fora da Basílica. O pontífice pediu aos fiéis que rezem por ele e disse que volta ao Brasil em 2017. "Eu peço um favor, rezem por mim. Necessito. Que Deus os abençoe e Nossa Senhora Aparecida cuide de vocês. Até 2017, porque eu vou voltar". No seminário, almoçará com sua comitiva, bispos, padres e seminaristas. O papa fará um repouso na Pousada Bom Jesus, onde ficaram João Paulo II e Bento XVI, e receberá religiosas de mosteiros de clausura. A volta para o Rio está prevista para as 16h10.

ACM Neto anuncia novas medidas para o Transporte Público

Postado dia 24 de Julho de 2013 às 15h45m

Um dia antes do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) anunciar os novos benefícios para usuários do sistema de transporte da capital baiano, a reportagem do Bocão News conversou com o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Salvador (Setps), Horácio Brasil, que afirma não ter conhecimento a respeito das mudanças promovidas pela gestão municipal.
 
Nesta quinta-feira (25), Neto deve apresentar medidas sobre a aplicação do Bilhete Único e a ampliação do Domingo é Meia. De acordo com Horácio, as empresas vão ter de se adaptar ao que determina a administração pública, contudo, promete “abrir a boca” caso as mudanças não sejam viáveis para os empresários do setor.
 
Instado a falar sobre o edital de licitação, o primeiro após duas décadas, Horácio prega a prudência. Para ele, é preciso esperar a publicação. O dirigente do sindicato patronal garante que não teve acesso aos detalhes, sabe apenas sobre aquilo que foi publicado e coloca à disposição para consulta pública.
 
Um dos pontos mais expostos em declarações do prefeito e do secretário de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia (DEM), é a necessidade de renovação da frota de ônibus. O superintendente afirma que a frota sempre é renovada, seja pela determinação legal, seja pelo tempo de uso.
 
“A cidade de Salvador é hostil para o transporte público ou particular. Chega uma hora que o veículo atinge o limite desta vida econômica e é preciso substituir. Este tempo vai no limite legal ou antes quando deixa de ser viável a depender da capacidade de investimento do empresário”.
 
As queixas dos cidadãos que utilizam o transporte são constantes quando o assunto é preservação do equipamento. O prefeito promete intensificar a fiscalização e estabelecer prazos mais enxutos na próxima licitação.
 
Outro assunto é a abertura e o já anunciado interesse de empresas de eixo sul/sudeste na exploração dos serviços em Salvador. Nada que preocupe o dirigente do Setps, ele afirma que as 18 empresas que compõem o sindicato estão preparadas para concorrer e vencer as concessões.
 
O fato é que as empresas surfaram durante duas décadas na ausência da fiscalização do poder público. Fruto, principalmente, da negligência do ex-prefeito João Henrique com a coisa pública. A nova gestão promete “joga duro” com os concessionários para atender à crescente demanda e exigência de uma população indignada com o transporte público.
Fonte: Bocão News

Salvador não terá recadastramento biométrico para eleições 2014

Postado dia 24 de Julho de 2013 às 15h43m

Salvador não está inclusa na lista das 37 cidades baianas onde a Justiça Eleitoral realizará o recadastramento biométrico dos eleitores em 2013. O processo é feito, desde junho, em cadeia nacional de TV e rádio. Na Bahia, porém, apenas municípios do interior realizam o procedimento desde o último dia 10. Com isso, os votantes da capital baiana não poderão usar a nova tecnologia de identificação nas eleições do ano que vem, quando será definido pelo Tribunal Superior Eleitoral um novo cronograma de recadastramento. Nas cidades onde já é feita a coleta de digitais, todos os eleitores devem comparecer a um dos postos credenciados ou terão os títulos cancelados. 

 

Fonte: Bahia Notícias

Lula participa do Festival Latinidades em Brasília e Seminário na Bahia

Postado dia 23 de Julho de 2013 às 16h05m

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa nesta terça-feira (23), do Festival Latinidades – Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha, em Brasília. E na quarta-feira (24) segue para Salvador, onde acontece o último seminário “O decênio que mudou o Brasil”, que comemora os 10 anos de governo democrático-popular. No Festival Latinidades, que está na sua 6ª edição, terça-feira (23), Lula participará de uma conferência especial sobre desigualdades de gênero e raça, “políticas públicas e ações afirmativas no governo Lula e sua atuação pós-mandato”, às 15h30 no Auditório 01 do Museu Nacional. Como diz o título da conferência, além das políticas públicas implantadas durante seus dois governos, O ex-presidente falará do seu trabalho com cooperação com a África, que desenvolve depois do fim do mandato. Já em Salvador, quarta-feira (24), às 17h, o ex-presidente participa ao lado da presidenta Dilma Rousseff do seminário, “O decênio que mudou o Brasil”; que na capital baiana terá como tema, “Participação Popular e Movimentos Sociais”, e como palestrante, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. O seminário acontecerá no Hotel Othon, Av. Oceânica, 2294 - Ondina. Em seguida acontecerá um ato político com a participação da presidenta Dilma Rousseff e Lula, do governador da Bahia Jaques Wagner, do ministro Gilberto Carvalho, do secretário de comunicação do PT Nacional, Paulo Frateschi, do presidente nacional do PT, Rui Falcão e do presidente estadual Jonas Paulo. 

Em entrevista ao Valor, o presidente do PT fala sobre as eleições de 2014, manif

Postado dia 23 de Julho de 2013 às 16h02m

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, concedeu entrevista ao jornalista Cristian Klein do Valor Econômico, que foi publicada na edição desta terça-feira (23). Confira abaixo os principais trechos da entrevista: Valor: Caso Eduardo Campos seja candidato à Presidência, a tendência é que o PT rompa a aliança nos Estados onde o PSB é governo? Rui Falcão: Primeiro esta possibilidade não está posta ainda, mas o que nós vamos estabelecer - e já estabelecemos - é que em todos os Estados haverá pelo menos um palanque para a candidatura da Dilma. Pelo menos um. Em outros lugares, pode ter dois, três. Nunca um Estado sem palanque. Ou seja, se Eduardo Campos se lançar, vai ter concorrência do PT em todos os Estados. A Dilma terá palanque em todos os Estados. Tire suas conclusões… Quando isso foi definido? Nunca falei deste jeito assim. Eu sempre falei que nós temos que construir palanques fortes nos Estados e tal. A consequência disso é que precisamos ter pelo menos um palanque da Dilma em cada Estado, em São Paulo, Minas. Não é por causa de Eduardo Campos - podemos ter palanque com ele lá, com o Cid Gomes… O governador do Espírito Santo [Renato Casagrande] me procurou para dizer que, mesmo que Eduardo Campos seja candidato - não fui eu que o procurei, foi ele que me procurou - vai ter palanque para a Dilma lá. Ele disse isso? Não disse que vai apoiar a Dilma, mas que a Dilma vai ter palanque. O vice-governador hoje é do PT. E não disse que vai ter palanque do Eduardo Campos. Ele não fará palanque para ninguém. Porque ele vai estar comprometido com o PT, com o PMDB e tal. Se Dilma e Campos estiverem na disputa, Casagrande não dará palanque a eles? O governador do Espírito Santo não vai ao palanque de nenhum candidato. Nem do Eduardo Campos. A pré-candidatura do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo ficou enfraquecida por causa da polêmica em torno do programa Mais Médicos? Ele pode desistir de concorrer? O diretório estadual quer ter uma definição de candidaturas até 10 de agosto. Vai realizar inclusive encontro em Bauru, nos dias 8 e 9. Acho que eles gostariam, neste prazo, de ter uma solução. Tudo estava encaminhando para que o ministro Padilha fosse o nosso candidato, pela qualidade dele e pelo tipo de adesão que ele já conquistou em São Paulo. Com as manifestações, houve uma espécie de interrupção, não só da definição de São Paulo mas também do movimento de consolidação de alianças em outros Estados. E o programa, prejudica? O Mais Médicos já está em andamento. Longe de ser um fator que impedisse a candidatura do Padilha, pode ser um fator que reforce. Porque o famoso debate de que ele precisaria de uma marca… esta seria uma marca. Mas é um tema que divide a população, segundo pesquisas. É, mas quando começarem a chegar os médicos, isso aí vai mudando completamente. O debate sobre as candidaturas está em outro estágio depois das manifestações? Não estamos retomando com outras candidaturas. Por exemplo: o pessoal parou de falar da candidatura do [senador] Lindbergh [Farias], se vai retirá-la, se não vai retirá-la… Nós sempre falamos que é uma candidatura para valer. Irreversível. O que as manifestações afetaram a candidatura Lindbergh? Afetaram positivamente. No caso do Padilha, nem positivamente, nem negativamente. Como os protestos afetaram o PT? Acho que nos levou a fazer uma reflexão maior sobre as nossas formas de contato com a população, de que a gente deveria estar cada dia mais junto dos movimentos sociais, porque nós os consideramos nossa linha de frente e nossa retaguarda estratégica. Então, eu fiz um esforço muito grande para estar mais presente nas atividades dos sem-terra. Fui, há cerca de um mês, a uma reunião da coordenação deles de todo o país, aqui em Guararema. Pedi que a presidenta os recebesse, e ela os recebeu. Tenho mantido contatos sistemáticos com a direção da CUT. [Com] a Juventude [do PT] também temos nos reunido com mais frequência. Estamos apoiando a realização da segunda Jornada de Lutas da Juventude, prevista para 28 de agosto a 7 de setembro. Deu uma boa sacudida no PT com relação a isso [aos movimentos sociais]. As manifestações mudaram o PT? Elas tornaram o PT mais mobilizado para os movimentos sociais. As críticas da base aliada ao distanciamento de Dilma já eram grandes antes dos protestos. Com a queda da popularidade da presidente, esta insatisfação não aumentou? Ao contrário, depois das manifestações, ela iniciou uma série de contatos e audiências, com vários setores da sociedade, com os partidos políticos e com o próprio PT também. Se reclamação pudesse haver, seria ao período anterior. Não agora, que os contatos têm sido diários. Na sexta-feira mesmo, ela esteve com o movimento negro, com setores empresariais, mas já havia recebido o pessoal do campo, dos movimentos dos sem-terra, de moradia, de juventude, da comunidade LGBT, a coordenação da bancada do PT, os presidentes dos partidos. Ela mudou? Eu acho que ela, como sempre ouviu, passou a ouvir mais ainda. E nos disse, agora na carta ao diretório nacional, que além de ouvir é preciso fazer. Há petistas que defendem o apoio do governo a certos empresários sob a justificativa de que o país precisa eleger seus “campeões” para competir com grandes conglomerados estrangeiros. O declínio de Eike Batista reflete uma escolha errada? Primeiro que não sou eu que escolho. Isso é uma política do BNDES e tem outras empresas bem-sucedidas. O próprio Eike está dizendo que tem possibilidade de recuperação. Esse para mim não é o centro da questão. O fato é que estamos com a economia, comparativamente a outras, bem situada; a inflação neste mês tem curva de declínio; a geração de empregos continua firme; a valorização do dólar, se por um lado, poderia funcionar como fator de pressão sobre a inflação, por outro lado, abriu caminho para dar mais competitividade nas nossas exportações. Então, o que está mais na ordem do dia é viabilizar estes cinco pactos que a presidenta apresentou ao país: a estabilidade fiscal, a melhora na saúde, educação e mobilidade urbana e o cerne, que é o pacto contra a corrupção e a favor da reforma política via plebiscito. 

PT 10 anos de Governo

Postado dia 23 de Julho de 2013 às 14h36m

Sobre o encerramento das comemorações pelos 10 anos de PT no governo, Rui Costa lembrou que a visita do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff nesta quarta (24) à capital baiana não tratará de eleição. “Antes de qualquer manifestação popular já estava previsto fazer o balanço dos dez anos. Se ainda falta muito para fazer, e falta, temos que comemorar tudo o que foi feito até aqui”, declarou, ao listar quatro novas universidades federais e quatro novos cursos de medicina no ensino público na Bahia, além do "maior investimento em água da história no Estado", durante o governo Jaques Wagner. Para o petista, os protestos de rua, tema que será debatido no evento, são por uma melhor qualidade de vida nas grandes cidades. “Hoje, é um inferno viver nos grandes centros urbanos. A forma como a população é tratada também não é boa. Por muito tempo, o político padrão era demagogo, prometia sem limites. Isso virou um hábito”, comentou, ao se excluir da lista. “O pessoal que trabalha comigo disse que eu vou acabar cometendo ‘sincericídio’, o suicídio político pelo tamanho de sinceridade. Fiz um pacto com meus filhos de me honrar sempre como homem público. Nem que tenha que perder o voto, eu não minto”, declarou. Em relação à mobilidade na Bahia, o secretário citou a implantação de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para ligar o bairro da Calçada, em Salvador, até a cidade de Alagoinhas, no nordeste baiano, além do metrô e dos chamados corredores alimentadores – Avenida Gal Costa, e 29 de Março – cuja pré-qualificação das empresas saiu na última semana. “Inicialmente, o VLT vai até Dias D’Ávila. Já apresentamos ao Ministério dos Transportes o projeto para redimensionar a linha férrea que vai até Cachoeira e Alagoinhas. Vamos instalar o VLT, com regularidade de horário e sem engarrafamento, da estação de Santa Luzia [Subúrbio Ferroviário] até o Retiro, passando pela San Martin”, explicou.
 

A caminho do Brasil, Papa se diz preocupado com jovens sem trabalho

Postado dia 22 de Julho de 2013 às 15h11m

O Papa Francisco manifestou nesta segunda-feira (22), em entrevista no voo entre a Itália e o Brasil, preocupação com o que chamou de "uma geração de jovens sem trabalho".Segundo o Papa, a crise mundial está cansando muitos danos aos jovens, e corre-se o risco de haver uma geração que nunca teve trabalho.
"A crise mundial não gerou boas coisas para os jovens. Na semana passada, examinei a porcentagem de jovens sem trabalho. Corremos o risco de ter uma geração que jamais teve um trabalho", disse o pontífice, que vem ao Rio, na sua primeira viagem internacional no cargo, para participar da Jornada Mundial da Juventude.
"Essa primeira viagem é para encontrar os jovens, a quem quero encontrar não isolados, mas em meio ao tecido social. Em sociedade, pois quando isolamos os jovens, fazemos uma injustiça, pois lhe retiramos o sentido de pertencimento", disse o Papa aos jornalistas que o acompanham no voo.

PT reconhece decisão no 2º turno das eleições presidenciais e defende mudanças

Postado dia 22 de Julho de 2013 às 14h55m

No documento discutido no último sábado (20) durante reunião do diretório nacional, em Brasília, o PT defendeu a reforma ministerial e ajustes na política econômica entre as prioridades para o segundo semestre do governo da presidente petista Dilma Rousseff. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a resolução prevê a continuidade dos protestos que mobilizaram o país em junho até 2014, ano da Copa do Mundo no Brasil e das eleições presidenciais. O partido entende que "nada indica que haverá refluxo das manifestações principalmente em ano eleitoral". Já sobre a disputa do ano que vem, o comando do PT admite a realização de dois turnos na disputa pela Presidência da República. "Sabemos ter pela frente um período de intensa luta política e ideológica, incluindo aí dois turnos de eleições presidenciais, para governo, Senado, deputados federais e estaduais", diz. No texto, a cúpula petista cobra a reaproximação dos movimentos sociais e mobiliza sua militância para recuperar a credibilidade da sigla e das instituições políticas, com a participação no "Grito dos Excluídos" no próximo dia 7 de Setembro e nas organizações programadas para a segunda jornada de lutas da juventude, em agosto deste ano. O documento cobra ainda que a mandatária brasileira faça um balanço de dez anos das ações do governo contra à corrupção, assim como o lançamento de um plano de combate ao crime. O texto ainda terá que ser aprovado e poderá sofrer modificações. A previsão é que ele recebe o aval dos petistas na próxima reunião da Executiva Nacional.
 

Vitória e Bahia ficam no empate sem gols na Arena Fonte Nova

Postado dia 22 de Julho de 2013 às 00h00m

Foram diversas chances para os dois lados. Os goleiros, quando acionados, desempenharam os papeis de maneira excelente. Não se pode dizer o mesmo dos centroavantes, em dia nada inspirador. Resultado disto? Nada de gols. No primeiro clássico estadual no Brasileirão 2013, realizado na tarde deste domingo (21), na Arena Fonte Nova, Vitória e Bahia não saíram do empate sem gols.

 

 

OAB-BA critica liminar que suspende criação de TRFs

Postado dia 19 de Julho de 2013 às 16h26m

O conselheiro federal Maurício Vasconcelos, representante da Bahia na comissão nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que acompanha a criação das novas sedes dos Tribunais Regionais Federais (TRFs), afirma que a seccional baiana recebeu a notícia da liminar que suspende a construção das cortes com espanto. Nesta quarta-feira (17), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, suspendeu a criação dos novos tribunais até que o plenário da Casa tome uma decisão sobre o assunto. As cortes seriam construídas em Salvador, Curitiba, Belo Horizonte e Manaus. O STF está em recesso que só terminará no dia 31 de julho. O defensor afirma que há vários pontos questionáveis na medida. Vasconcelos criticou o fato de ter sido Barbosa a conceder a liminar, já que ele já havia se posicionado publicamente “de forma deselegante” contra a criação das novas sedes. Na opinião do causídico, também não pegou bem Barbosa tomar essa atitude em regime de urgência. “Essa Adin [ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pela Associação Nacional de Procuradores Federais que  resultou na liminar] foi distribuída para o ministro Luiz Fux. O STF está de recesso e não havia nenhuma urgência para que essa liminar fosse aprovada. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) ainda vai mandar o projeto de lei para regulamentar a criação dos tribunais para o Congresso. Isso só está previsto para o mês de dezembro. Ele [Barbosa] decidiu isso enquanto plantonista e ele poderia aguardar que o Luiz Fux decidisse”, argumentou, em entrevista ao Bahia Notícias. Já em relação às medidas que a Ordem irá tomar para reverter a situação, o conselheiro diz que não há nada decidido ainda. “Essa decisão terá que ser tomada pela comissão. Nós ainda não tivemos uma reunião, mas provavelmente vamos intervir no processo, só não sabemos ainda de que forma”, explicou. Vasconcelos também disse que há necessidade implantação de um TRF no estado. “Esses tribunais, sobretudo o da Bahia, são muito importantes. o TRF1 [que cuida das demandas jurídicas federais da Bahia e de mais 12 estados] está agigantado e só tem 27 juízes para julgar essas causas todas. A OAB é favorável a implantação dos tribunais. Essa matéria passou 10 anos no Congresso, não foi algo que aconteceu do dia para a noite”, relatou. 
 

Histórico de Conteúdo

Enquete

Você é a favor da Redução da Maioridade Penal para 16 anos?

Resultado

©2013 Elite Estratégias Políticas - Todos os direitos reservados