Salvador, 22 de Fevereiro de 2019 - Tel: (71) 2104-1959

Newsletter

Cadastre seu email para receber novidade por email.

Nome:

Email:

Fotos e Vídeos



Facebook

Noticias

Após reclamações sobre teste de dengue,Anvisa deve interditar parte da Bahiafarm

Postado dia 08 de Fevereiro de 2019 às 09h28m

A área de produtos de saúde do laboratório público Bahiafarma será interditada cautelarmente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo apuração do site Jota, a medida está relacionada a reclamações sobre a eficiência do teste rápido para dengue, zika e chikungunya.

 

O governo federal adquiriu aproximadamente R$ 120 milhões do produto em 2016 e R$ 160 milhões em 2017. A interdição cautelar impede a produção nesta área da empresa. No entanto, os testes que já estão no mercado não serão recolhidos. Também não há, segundo a publicação, interdição na área de fabricação de medicamentos.

 

TESTES REPROVADOS

O jornal O Estado de S. Paulo revelou que os testes rápidos da Bahiafarma foram reprovados em análises do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Houve queixas com relação à eficiência do produto nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Acre e Goiás. Devido ao laudo, que apontou baixa sensibilidade, os lotes foram recolhidos para análise.

 

Por meio de nota, a Bahiafarma negou a reprovação dos testes pelo INCQS. "Análises de controle realizadas pelo instituto, conduzidas em setembro de 2018, concluíram pela aprovação dos testes rápidos de Dengue, de acordo com os parâmetros adotados pelo Ministério da Saúde para o insumo, e apontaram inconformidades em um lote do teste de Chikungunya e em um lote do teste de Zika – este último com data de validade já vencida", diz o texto.

 

O laboratório baiano informou ainda que a Anvisa requisitou análise fiscal dos testes, que será conduzida por um laboratório credenciado pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS). "Ainda que não tenha recebido laudos sobre a realização das análises de controle, como prevê o rito legal, a Bahiafarma determinou que todas as medidas necessárias para a comprovação da acurácia dos seus testes fossem tomadas em caráter imediato", acrescenta a nota.

 

Fonte: Bahia Notícias.

Rui entrega reforma de trecho de 17,5 quilômetros da BA-084 entre Irará e Água F

Postado dia 07 de Fevereiro de 2019 às 15h50m

Um trecho de 17,5 quilômetros da BA-084 foi entregue recuperado nesta quinta-feira (7) pelo governador Rui Costa. A via deve beneficiar Irará e Água Fria, no Portal do Sertão, além de outros cinco municípios da região de Feira de Santana. “A recuperação de estradas garante mais segurança e qualidade de vida para a população e também o desenvolvimento local e regional. Além da estrada, hoje entregamos obras de abastecimento de água para as duas cidades, além de ações na área da agricultura familiar e também na educação”, declarou o governador, que visitou o Colégio Estadual Joaquim Inácio de Carvalho, para conhecer as instalações e a quadra esportiva construída recentemente na instituição.  

Foto: Paula Fróes/GOVBA

 

Em Irará e Água Fria, o gestor também entregou sistemas de abastecimento. Segundo o governo, o de Irará deve atender a 682 habitantes e o de Água Fria, 1.463. Entre outras ações, em Irará Rui ainda entregou 119 Títulos de Terra do Projeto Bahia mais Forte Terra Legal, beneficiando 12 municípios do Território Portal do Sertão. Em Água Fria, o governador ainda destinou oito motocicletas para a Polícia Militar, sendo distribuídas para as companhias da PM nas cidades de Rio Real, Catu e Amargosa. Também foi autorizado dois convênios no âmbito do Projeto Bahia Produtiva (Edital Socioambientais Quilombolas) com produtores da cidade.

 

Fonte: Bahia Notícias.

Diretor da TV Bahia faz balanço de Senra e anuncia especial dramatúrgico 's

Postado dia 07 de Fevereiro de 2019 às 13h36m

O diretor executivo da Rede Bahia, João Gomes, foi o entrevistado do programa Roda Baiana, da rádio Metrópole, desta quarta-feira (6). No papo com Fernando Guerreiro, ele disse que a TV Bahia irá investir mais em dramaturgia local neste ano e anunciou uma novidade na área: "Teremos uma reunião semana que vem, com apoio da própria Globo. É um modelo, quase um concurso de roteiros, porém produzido aqui e com atores daqui. Isso será informado. Será um especial de final de ano com a modelagem de um produção dramaturga 100% local", explicou. A reunião com os detalhes dessa produção acontecerá na próxima terça-feira (12), na sede da afiliada da Globo, para a imprensa, artistas e influenciadores digitais. 

 

DISPUTA PELA AUDIÊNCIA

Na conversa, Gomes ainda pontuou que os telespectadores mudaram sua forma de consumir conteúdo da TV aberta e reconheceu algumas conquistas da concorrência, em especial a TV Itapoan, afiliada da Record, que consegue liderar em determinados horários, especialmente durante a faixa do meio-dia.

 

"Não temos nenhum problema em admitir os méritos da concorrência e não espero nenhuma reciprocidade, apesar de que seria de bom convívio do meio. Houve um aproveitamento do momento, onde a Record também aumentou a produção de conteúdo regional aqui em Salvador e fez uma mudança, se assemelhando mais ao padrão Globo. Eles saíram do âmbito religioso e envelhecido. Há um encontro também com uma pauta que leva o telespectador a ficar confinado ou com aberração ou comoção, porque se mudar dessa pauta, ele perde o horário. Respeito muito o telespectador, não estou fazendo críticas, é uma escolha. O telespectador é soberano. O que posso fazer é a leitura do conteúdo", ponderou.

 

Porém, foi categórico ao responder uma questão de um ouvinte que afirmou que a TV Bahia "baixou o nível" para se assemelhar ao conteúdo da concorrência. "Discordo completamente. Acho que as pessoas fazem uma confusão pelo fato da gente ter mudado para um jornalismo comunitário e termos a presença de Jéssica Senra, que tem essa característica. Porém, talvez, as pessoas aqui não tenham essa referência de como a Globo de São Paulo e do Rio de Janeiro fazem. Não é uma reação da concorrência, é um modelo de transição dentro do próprio jornalismo, onde as pessoas podem comentar", explicou.

 

Por fim, defendeu o a atuação de Jéssica Senra a frente do diário "Bahia Meio Dia". "Acho que ela mantém a personalidade dela. As pesquisas já apontavam que Jéssica Senra era uma pessoa muito admirada, muito querida pelo público, e que tinha o padrão Globo. O que a gente sempre conversa com Jéssica em especial - que traz essa experiência que não tínhamos na TV Bahia - é que nem tudo merece comentário, pois é muito chato ouvir de qualquer assunto a opinião do apresentador e, às vezes, a opinião pessoal não é a opinião da empresa", frisou.

 

"O nosso grande desafio é que seja conteúdo de interesse da maioria. Não faremos escolhas pelos conteúdos de aberração ou comoção. Não vamos entrevistar bandido e policial todo dia ou mostrar pessoa entubada no hospital. Não faz parte. Não é o nosso papel". Assista: https://youtu.be/F2H5HJUxUIw

 

Fonte: Bahia Notícias.

Feira de Santana: Forte chuva deixa vários pontos alagados

Postado dia 07 de Fevereiro de 2019 às 09h19m

Ruas de Feira de Santana ficaram alagadas devido às chuvas que caíram na tarde desta quarta-feira (6). Segundo o Acorda Cidade, o trânsito ficou lento em alguns pontos, e pedestres tiveram dificuldades para transitar. Por conta das precipitações, um comerciante de uma loja localizada perto do viaduto da Senador Quitino teve de fechar o estabelecimento devido à agua ter invadido o espaço.

 

Além do Centro, diversos pontos ficaram alagados, como no bairro Ponto Central, viaduto da Noide Cerqueira, bairro Lagoa Grande, Jardim das Acácia, Mangabeira, Sítio Matias.

 

Fonte: Bahia Notícias.

Chuva causa deslizamentos e deixa, pelo menos, três mortos no Rio de Janeiro

Postado dia 07 de Fevereiro de 2019 às 09h19m

As fortes chuvas causaram deslizamento de terra, queda de árvores e deixaram, pelo menos, três pessoas mortas, no Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira (6).

Segundo o G1, mais duas pessoas estão desaparecidas. Um ônibus está soterrado, e há a suspeita de que dois passageiros estejam feridos dentro. Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) afirmou que vai demorar “mais de um dia inteiro para normalizar” a situação da cidade.

Fonte: Bahia Notícias.

Moro apresenta projeto a deputados e defende rigor:´Quanto custa um homicida sol

Postado dia 06 de Fevereiro de 2019 às 17h15m

Após apresentar seu projeto de lei anticrime aos governadores, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou o texto aos deputados federais nesta quarta-feira (6). Em contato com a imprensa, posteriormente, ele defendeu o rigor que o texto prevê para crimes violentos (saiba mais aqui).

 

 

"Nós temos muita ciência de que existe uma situação da população carcerária muito difícil. (...) Mas quanto custa um homicida preso? Agora, quanto custa um homicida solto?", criticou.

 

O ministro também ressaltou que "não existe licença para matar", mas a garantia da legítima defesa e que, nesse contexto, o policial não deve ser responsabilidade pela eventual morte do criminoso.

 

O projeto de lei propõe mudanças em artigos do Código Penal, do Código de Processo Penal, da Lei de Execução Penal e da Lei de Crimes Hediondos e do Código Eleitoral. Na Bahia, o governador Rui Costa (PT) disse que vai apoiar a proposta do ministro. Já o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, criticou a falta de diálogo com os estados antes da confecção do texto (saiba mais aqui e aqui).

 

Fonte Bahia noticias

Procuradoria recebe inquérito da PF contra Flávio Bolsonaro por crime eleitoral

Postado dia 06 de Fevereiro de 2019 às 15h14m

A Procuradoria-geral da República (PGR) recebeu um inquérito da Polícia Federal  sobre um suposto crime eleitoral praticado pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo o jornal Estado de São Paulo, o senador é investigado por falsificação de documento público para fins eleitorais. O caso tramitava desde março de 2018 na Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (PRE-RJ).

Ainda de acordo com a publicação, a suspeita é de que Flávio Bolsonaro declarou imóveis comprados por meio de “negociações relâmpago” ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com valores supostamente abaixo do real. No inquérito, há ainda a citação de que as negociações teriam resultado em aumento do patrimônio do atual senador. Há no inquérito citação a possível lavagem de dinheiro..

Fonte. Bahia noticias

Bilionário russo quer comprar os supermercados Dia

Postado dia 06 de Fevereiro de 2019 às 12h30m

Um bilionário russo quer assumir o controle total da rede espanhola de supermercados Dia. Segundo o jornal Folha de são Paulo, Mikhail Fridman ofereceu € 417 milhões (R$ 1,7 bilhões) para adquirir o negócio.

A LetterOne, companhia de Fridman, já possui 29% das ações da varejista. A rede espanhola passa por uma crise desde 2017 e, no ano passado, perdeu mais de 90% do valor de mercado

Fonte Bahia noticias.

Conselho Fed. de Medicina publica resolução que regulamenta atendimento online

Postado dia 06 de Fevereiro de 2019 às 10h31m

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, no Diário Oficial da União desta quarta-feira (6), a Resolução nº 2.227/2018, que regulamenta a prática de telemedicina. A medida entra em vigor em maio deste ano.

 

De acordo com o texto, a telemedicina é definida como "o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde". Para o atendimento à distância, os dados e imagens dos pacientes devem trafegar na internet com infraestrutura, gerenciamento de riscos e uma série de requisitos obrigatórios estabelecidos pelo CFM.

 

A tecnologia deve ser utilizada apenas em casos necessários e justificados, como para pacientes em áreas geograficamente remotas, "desde que existam as condições físicas e técnicas recomendadas e profissional de saúde". Uma das premissas obrigatórias é a relação médico-paciente presencial anterior ao atendimento online.

 

Em nota publicada nesta terça-feira (5), após críticas de conselhos médicos regionais (veja aqui), o CFM ressaltou que "continuará a promover debates, inclusive com consulta pública, visando o aperfeiçoamento dessa norma". A próxima oportunidade para discutir o tema, segundo a nota, será durante o II Fórum de Telemedicina, na sede do CFM, em Brasília.

 

Fonte Bahia Noticias

Progressão de pena é estímulo ao homicídio, diz Rui Costa

Postado dia 06 de Fevereiro de 2019 às 09h29m

Reeleito para mais quatro anos à frente do governo da Bahia com 75% dos votos, Rui Costa (PT) defende o endurecimento de penas para crimes contra a vida e uma articulação nacional para o enfrentamento da violência. À frente do maior estado governador pelo PT nesta legislatura, defende a construção de pontes com o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e afirma que o PT deve mudar a sua forma de fazer oposição.

“O PT tem em que fazer diferente, inovar na política e ajudar em tudo aquilo que for positivo para o povo brasileiro”, afirma Costa, que ainda defende que o partido se afaste de temas como a defesa do ditador da Venezuela Nicolás Maduro e se volte para assuntos que tenham relação mais direta com o cotidiano da população.



Pergunta - O Nordeste enfrenta uma escalada de violência nos últimos anos, com avanço de facções e ataques como os ocorridos no Ceará. Como enfrentar este problema e como o governo federal deve se envolver?

Costa - Os estados do Nordeste, de maneira geral, têm conseguido um avanço na segurança. O foco de todo mundo foi o de reduzir homicídio e, nos últimos quatro anos, estamos conseguindo colher resultados. Mas o fato é que cerca de 70% dos homicídios têm relação com relação direta ou indireta com o comércio de drogas. E não se combate um tráfico de drogas em que facções se articulam nacional e até internacionalmente atuando apenas no estado. É preciso uma integração maior no combate ao comércio ilegal das drogas e para isso é inevitável uma parceria com o governo federal.



O senhor tem defendido o endurecimento de penas em casos de crime contra a vida. Vai trabalhar para que o Congresso aprove estas medidas?

Costa - Eu defendi isso nos últimos quatro anos. Acho que é quase um estímulo ao homicídio quando você pega alguém que tirou a vida de uma pessoa e com um sexto da pena essa pessoa possa ter acesso à liberdade provisória, a uma série de progressões. Com o endurecimento da pena, a pessoa, no mínimo, vai pensar duas vezes antes de tirar a vida de alguém. E acho que também é preciso desburocratizar o fluxo de recursos para investir no sistema prisional e melhorar o funcionamento da Justiça para evitar um excesso de presos provisórios, que criam um círculo vicioso e um clima de instabilidade nos presídios.



O endurecimento das penas é uma pauta histórica do presidente Jair Bolsonaro, que foi eleito com grande apelo em torno do tema da segurança. Acha que os governos do PT erraram ao não enfrentar essa questão?

Costa -
 Isso vem de muitos anos. Desde o governo do PSDB, passando pelos governos do PT, o governo federal não tratou como deveria a segurança pública. O conceito predominante é de que a segurança pública é uma atribuição dos estados. Na minha opinião, isso é um erro conceitual. No passado, até poderia ser válido. Há 30, 40 anos, as gangues eram locais. Mas uma vez que o crime se nacionalizou e internacionalizou, não pode permanecer num conceito de que o combate ao crime é responsabilidade do estado.



Além do endurecimento das penas, o pacote proposto pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, prevê prisão de condenados já na segunda instância. O senhor também defende esta medida?

Costa - 
Eu acho que tudo depende de como se der o processo investigativo e de provas, não dá para colocar tudo num cesto só. Se você tem um crime com provas robustas, depoimentos, documentos, imagens ou até uma confissão, acho que não precisa nem segunda instância para começar a cumprir a pena. Outra coisa é se paira dúvida se a pessoa é culpada ou não. Nesses casos, acho uma temeridade antecipar a prisão de alguém.



Como avalia o decreto assinado pelo presidente Bolsonaro que flexibilizou a posse de armas?

Costa - 
Eu acho uma temeridade num país em que morrem mais de 60 mil pessoas por ano você facilitar o acesso a armas. A tendência é aumentar o número de homicídios, até por coisas fúteis e fortuitas. O que vai acontecer é que aquela arma registrada em nome de um homem de bem ou de uma mulher de bem tem grande possibilidade de cair nas mãos de bandidos. Hoje, boa parte do armamento que está nas mãos de bandidos um dia foi armamento legal.



Os estados vivem uma situação financeira complicada e o rombo na Previdência é um dos principais gargalos. Como acha que este problema pode ser solucionado?

Costa -
 Aprovamos em 2015 a Previdência complementar. Para os novos servidores, essa questão está resolvida. O problema é o passivo. Em 2015, o nosso déficit na Previdência era de R$ 2 bilhões, este ano está em R$ 4 bilhões e em 2022 será R$ 8 bilhões. É uma curva exponencial que precisa ser enfrentada. Não há como se manter um modelo de pagamento do último salário integral para uma pessoa que não contribuiu isso a vida inteira. Tem professor que se aposenta com 51 anos e, como a expectativa de vida aumentou, ele vai receber a aposentadoria por mais anos do que contribuiu. Isso não se sustenta.



O senhor recentemente aumentou a alíquota de contribuição da Previdência, mas enfrentou uma forte resistência dos servidores.

Costa - 
Não mexemos em nenhum dos direitos adquiridos pelos servidores. Aumentamos a alíquota de 12% para 14%, o que vai nos gerar uma renda extra de R$ 250 milhões por ano. Isso não faz nem cócegas para o tamanho do rombo, mas já é uma medida. Temos que buscar outras alternativas para minimizar esse problema.



Não é hora de buscar atacar ainda mais a questão fiscal, reduzindo gastos desnecessários? Um exemplo: a Bahia é um dos poucos estados que paga auxílio-moradia a deputados estaduais, são R$ 3 milhões por ano.

Costa - 
Acho que todo mundo tem que dar a sua cota de sacrifício e é verdade que nem todos os Poderes estão dando a sua contribuição. A gente tem que se comparar com outros países que mais ricos e com maior tradição democrática. Nem todos os países, por exemplo, têm o seu Legislativo municipal remunerado. Na Alemanha, não há acúmulo de aposentadoria pública. E se a pessoa se aposentou e quer continuar trabalhando, reduz a aposentadoria a 60% do valor. A gente tem que parar de dar privilégios e oferecer para poucos aquilo que a gente não oferece para todos.



Frente a este cenário difícil, acha que a oposição deve colaborar com a aprovação das pautas econômicas do governo Bolsonaro?

Costa -
 Eu sou da tese de que devemos apoiar tudo aquilo que não vai violar nossos princípios, nossos valores e vá ajudar a melhorar a vida da população. Nunca fui um apaixonado pelo “quanto pior, melhor”. Não se credencia a ser governo ou voltar a ser governo apenas quem é contra por ser contra, não dá concretude ao seu argumento. Tudo que eu puder ajudar como cidadão e como governador para ajudar a fazer o Brasil melhor, eu vou fazer.



Mas o senhor vai defender isso internamente dentro do seu partido? O PT sempre foi muito criticado por fazer uma oposição intransigente.

Costa - 
Este não é um padrão do PT, mas da maioria dos partidos. No período [dos ex-presidentes] Lula e Dilma, o PSDB e o DEM fizeram exatamente igual. Às vezes acontecia de partidos e deputados que votavam contra uma determinada medida nacionalmente, mas apoiava a mesma coisa localmente. Fica até um negócio hilário. Por exemplo, o PSDB e DEM votaram contra o aumento da alíquota da Previdência na Bahia, mas se o novo governo federal apresentar esta mesma medida, eles vão votar a favor. Acho que não dá para ser incoerente, temos que saber quais são os nossos valores e votar conforme eles.



O senhor defende que o PT pratique um outro tipo de oposição?

Costa -
 Eu defendo. Acho que o PT não pode mais repetir esse padrão de comportamento. Tem que fazer diferente, inovar na política e ajudar em tudo aquilo que for positivo para o povo brasileiro.



Acha possível reverter atual onda de antipetismo?

Costa - 
O forte do PT sempre foi a sua proximidade com os mais pobres, com as comunidades. E ao longo dos anos em que o PT governou, houve afastamento progressivo do partido da população. Não conceitualmente, mas no dia a dia. O PT precisa sentir mais de perto as angústias e ouvir a população. Por que eu defendo endurecimento de penas? Porque eu estava na rua vendo a angústia do povo que não aguenta mais tanta criminalidade. Se você não está perto do povo, você fica preso a preconceitos e não se dá conta da realidade. O PT precisa se reaproximar do povo.



Acha que o partido erra ao tratar de temas como a defesa do [ditador da Venezuela] Nicolás Maduro e do terrorista Cesare Batistti?

Costa -
 Acho que talvez o partido tenha valorizado demais temas que não impactam diretamente a vida das pessoas. Isso de alguma forma facilita o trabalho da oposição. Por outro lado, se criticou muito uma certa ideologia nos governo do PT, mas eu confesso que nunca vi tanto discurso ideológico como nesses dias de governo [Bolsonaro].



O presidente Bolsonaro tem colocado a dessalinização como uma solução para o problema hídrico do Nordeste. Acha viável?

Costa - 
O Nordeste já usa essa tecnologia há muitos anos. Eu estive em Israel há pouco tempo e que eles fazem lá —e que nós não fazemos— é o uso de larga escala de dessalinização da água do mar para abastecer grandes cidades. Mas isso não é compatível com nossa realidade porque temos outras opções mais baratas para abastecer cidades litorâneas. A carência nossa não é tanto dessalinizar água, mas ter recursos para levar para o sertão a água que muitas vezes não está nem tão longe. Mas acho positivo que o presidente esteja preocupado com abastecimento de água, em dialogar para buscar novas tecnologias.



Mas o senhor tem visto esta abertura ao diálogo do presidente? Ele até cobrou que os governadores do Nordeste colocassem fotos dele em seus gabinetes.

Costa - 
Eu nunca pedi que nenhum prefeito coloque retrato meu em gabinete, nunca pedi. Mas acho que ainda não dá para avaliar se o presidente está aberto ao diálogo. Espero que esteja. Da minha parte, sempre que o presidente chamar, estarei à disposição para conversar, compartilhar ideias e apontar soluções.

Fonte. Bahia noticias 

Histórico de Conteúdo

Enquete

Você é a favor da Redução da Maioridade Penal para 16 anos?

Resultado

©2013 Elite Estratégias Políticas - Todos os direitos reservados