Salvador, 23 de Maio de 2018 - Tel: (71) 2104-1959

Newsletter

Cadastre seu email para receber novidade por email.

Nome:

Email:

Fotos e Vídeos



Facebook

Noticias

Cientistas brasileiros testam ‘vacina’ que cria anticorpos contra cocaína

Postado dia 21 de Novembro de 2017 às 10h00m

Cientistas brasileiros testam uma espécie de vacina que pode ajudar no auxílio a dependentes químicos. Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram uma molécula que se liga à droga, criando anticorpos que bloqueiam seus efeitos.
 
“Na verdade, a cocaína não é identificada pelo nosso sistema imune porque ela é uma molécula muito pequena. Então, a gente precisa ligar moléculas grandes para o sistema imune 'olhar' para a cocaína e 'falar' assim: ‘você não é bem-vinda aqui’. O que esta molécula faz é tornar a cocaína uma molécula pouco bem-vinda no organismo”, explicou o pesquisador Frederico Garcia, coordenador do Centro de Referência em Drogas da UFMG, em entrevista ao G1. 
 
“E aí, nossos glóbulos brancos passam a produzir anticorpos contra a cocaína. Então, toda vez que a cocaína entra na corrente sanguínea, estes anticorpos se ligam à cocaína e não se desligam. E, aí, impedem que ela entre numa barreira protetora do cérebro”, completou.
 
Os pesquisadores registraram a patente e já testaram a substância em roedores, podendo aplicá-la em macacos. Só depois, caso obtenha os resultados necessários, poderá passar para a pesquisa em humanos.
 
“A gente acredita que até junho do ano que vem já consiga começar a pesquisa em seres humanos. Isso levaria dois a três anos até a comercialização”, prevê Garcia. Participam do estudo cerca de 20 pessoas, entre professores, estudantes de medicina, mestrandos e doutorandos. Para Frederico, a vacina pode se tornar uma importante aliada no tratamento de dependentes químicos.
 
"No usuário, o que a gente espera é aumentar a taxa de abstinência para que as pessoas consigam retomar a vida com autonomia e independência, como elas merecem. O que a gente acha é que a vacina associada a outros tratamentos vai aumentar as chances de sucesso destes tratamentos”, afirmou.
 
 
 
BN.
 

Whey protein previne diabetes e traz benefícios cardiovasculares

Postado dia 21 de Novembro de 2017 às 09h27m

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Newcastle, no Reino Unido, revelou que tomar whey protein - muito utilizado pelos adeptos à musculação - antes do café da manhã ajuda a prevenir o diabetes tipo 2.
 
Segundo informações da Veja, a pesquisa foi realizada em duas etapas. Inicialmente com 12 homens obesos, divididos em 2 grupos. O primeiro deveria descansar por 30 minutos e o segundo, andar na esteira pelo mesmo período. Depois, os participantes receberam 20 gramas do suplemento ou um placebo antes de consumirem um café da manhã repleto de carboidratos.
 
Com isso, os resultados mostraram que, aqueles que tomaram o suplemento não apresentaram pico de açúcar no sangue logo após se alimentarem. Na outra fase, 11 homens com diabetes tipo 2 receberam 15 gramas do suplemento e os resultados mostraram que o nível de açúcar dos participantes se manteve estável.
 
Os voluntários também se sentiram mais saciados. “Nós sabemos que um alto nível de glicose após comer pode contribuir para um controle deficiente de glicemia e também pode ser prejudicial à saúde cardiovascular. Nós mostramos que consumir uma pequena quantidade de proteína do soro de leite antes de uma refeição pode ajudar as pessoas a evitar os altos níveis de glicose no sangue e ajudá-las se sentirem mais satisfeitas após as refeições. ”, disse Daniel West, autor do estudo.
 
Quanto aos benefícios cardiovasculares, uma pesquisa, divulgada em outubro de 2016, já havia apontado os benefícios. Cientistas da Universidade de Reading, no Reino Unido, concluíram que o suplemento pode ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca ao baixar a pressão arterial, o colesterol e tornar os vasos sanguíneos mais saudáveis.
 
BN.
 

HRS oferece 30 vagas para programas de residência multiprofissional

Postado dia 21 de Novembro de 2017 às 09h23m

Estão abertas as inscrições para os programas de residência multiprofissional do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). Localizada no bairro do Cabula, em Salvador, a instituição oferece seis vagas para enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), seis vagas para fisioterapia em UTI e emergência, quatro vagas para fisioterapia em neurofuncional, quatro vagas para fonoaudiologia hospitalar e dez vagas para neurologia (sendo duas para cada categoria profissional – enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição e psicologia).

Os programas de residência em área profissional da saúde do Estado da Bahia contam com bolsas de até R$ 3.330,43, de acordo com divulgação realizada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por meio da Escola Estadual de Saúde Pública (EESP).

A pasta oferta vagas nas modalidades uni e multiprofissional. As provas serão realizadas em um único dia, 7 de janeiro de 2018, no turno da manhã, exclusivamente no município de Salvador. Inscrições podem ser feitas apenas via internet, no site do Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (Cefet-BA), até o dia 17 de dezembro de 2017. Mais informações sobre o edital e o processo de inscrição estão disponíveis no site da Fundação Cefet (acesse aqui).

 

BN.

Drunkorexia: Jovens trocam calorias de alimentos por bebidas alcoólicas

Postado dia 20 de Novembro de 2017 às 12h38m

Jovens mulheres, principalmente de países ricos, têm apresentado sinais de um transtorno alimentar conhecido como "drunkorexia". As pessoas afetadas pulam refeições para reduzir a ingestão de calorias de alimentos, substituindo-as pelas calorias de bebidas alcoólicas.
 
Para se ter uma ideia, um copo de 400 ml de cerveja tem, em média, 197 calorias, o equivalente a uma fatia de pizza. Apesar de não ser clinicamente reconhecido, o problema atinge quase 60% das estudantes de graduação de países ricos, de acordo com estudo realizado em 2016.
 
"Eu costumava pular refeições na universidade para não ficar inchada à noite", afirmou uma mulher de 23 anos que preferiu não se identificar, em entrevista ao Independent. "Definitivamente é (uma prática) comum, muitos dos meus clientes me perguntam se deveriam perder o jantar para compensar o que planejam beber", acrescentou.
 
De acordo com a nutricionista Rhiannon Lambert, o comportamento não afeta apenas jovens e está relacionado a uma dieta com "efeito sanfona", na qual o peso retorna logo após a perda. A especialista alertou que dietas de contagens de calorias podem ser uma das causas do problema.
 
"Essas situações devem envolver o atendimento hospitalar e uma equipe de profissionais de saúde para apoio do doente paciente", recomendou.
 
 
BN.

Estado emocional pode desencadear a doença de Crohn

Postado dia 20 de Novembro de 2017 às 12h24m

Caracterizada como uma doença inflamatória crônica, a doença de Crohn (DC) afeta o sistema gastrointestinal, com local de hospedagem que pode ir desde a boca até o ânus. Segundo João Paulo Barbosa, gastroenterologista do Hapvida Saúde, os sintomas mais comuns são perceptíveis na região da barriga.
 
“É comum que a DC apresente sintomas como dor abdominal, principalmente na região inferior à direita, seguido de diarreia crônica, sangue nas fezes, perda de peso e fadiga”, explica o médico. Ainda de acordo com Dr. João Paulo Barbosa, a DC costuma se alojar em indivíduos predispostos geneticamente e em pessoas que estão passando por problemas emocionais. 
 
"A causa da DC ainda não está esclarecida. Acredita-se que o estresse emocional pode servir de gatilho para o surgimento da doença em indivíduos predispostos e induzir a recaída da doença em pacientes já com o diagnóstico. Observa-se também que o estresse está envolvido na mudança da microbiota intestinal e desregulação imunológica, o que deixaria o indivíduo mais suscetível ao surgimento da doença”, diz o especialista.
 
É sabido que em alguns casos a doença pode se manifestar de forma diferente e ser detectada sem a manifestação de nenhum sintoma. Nesses casos, em que os sintomas são nulos, a DC é diagnosticada quando o portador apresenta alguma dor aguda e é levada para fazer exames específicos. Já nos casos em que os sintomas se manifestam, classifica-se de leve a moderada quando se apresenta com quadro de diarreia frequente, dor de barriga e sem febre, e de moderada a grave nos pacientes com febre, perda de peso, dor abdominal, náusea, vômitos ou anemia.
 
O médico explica que o tratamento é de acordo com o quadro que o paciente apresenta, podendo usar métodos como a utilização de medicamentos imunossupressores, que ajudam na diminuição da quantidade de células inflamatórias no corpo ou através dos medicamentos imunomoduladores, que inibem a atividade do sistema imunológico, de forma que ele não pode mais causar o processo inflamatório crônico característico dadoença. Já na fase mais aguda, podemos introduzir o uso de corticóides para atingir a remissão da doença. ``Em casos mais avançados que evoluem com complicações, pode ser necessário o tratamento cirúrgico. Lembrando que a indicação desse tratamento deve ser sempre compartilhada entre o clínico e o cirurgião, finaliza Dr. João.
 
 
BN.

Pesquisa revela que maioria dos jovens brasileiros são sedentários

Postado dia 20 de Novembro de 2017 às 11h29m

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quarta-feira (17), que mais da metade da população acima de 15 anos do país nunca praticou esportes. A conclusão é resultado do suplemento Práticas de Esporte e Atividade Física, da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad) de 2015, realizada em parceria com o Ministério do Esporte. 
 
O levantamento mostrou ainda que 57,3% dos adolescentes de 15 a 17 anos informaram que o principal motivo para não se exercitarem foi não gostarem ou não quererem. Os resultados obtidos na pesquisa servem de alerta, visto que o sedentarismo e a hipoatividade estão associados ao risco de desenvolver excesso de peso, ocasionando obesidade e consequentemente ao risco de desenvolver doenças cardiovasculares na idade adulta, anormalidades metabólicas como nível de colesterol alterado, diabetes, hipertensão, insônia e várias desordens metabólicas, explica a nutricionista Daniele Andrade. 
 
Além do sedentarismo, fatores como má alimentação, ansiedade devido ao stress do dia a dia e o isolamento social podem levar ao consumo excessivo de alimentos doces e gordurosos como uma forma de compensação, afirma a nutricionista. Aém do estímulo da prática esportiva e de atividades físicas, é preciso identificar o tipo de exercício a ser realizado – o que vai depender da afinidade e desenvolvimento dos adolescentes, segundo o educador físico Pablo Gavazza, coordenador técnico da rede de academias Hammer Fitness Club, unidade Rosas.
 
Para ele, o primeiro passo é consultar um médico para liberação da atividade e, logo após, é preciso buscar um profissional capacitado para a prescrição, acompanhamento e monitoramento do aluno, durante a pratica das atividades.
 
“Nesta fase da vida o risco de lesão é maior, pois os músculos, ligamentos e tendões ainda estão se desenvolvendo. Por isso é imprescindível o acompanhamento de um educador físico para garantir os bons resultados”, ressalta.
 
De acordo com Gavazza, a prescrição do exercício adequado levará em consideração, também, a maturidade do aluno.
 
BN.

Estudo revela que quase metade das alergias alimentares surge na vida adulta

Postado dia 20 de Novembro de 2017 às 10h26m

Um estudo desenvolvido nos Estados Unidos mostrou que quase metade das alergias alimentares surgem na idade adulta. Em apresentação anual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia, o coautor da pesquisa, Ruchi Gupta, disse estar surpreso com o resultado encontrado.
 
"As alergias alimentaram são vistas como condições que surgem na infância, então a ideia de que 45% dos adultos com alergias alimentares as desenvolveram na idade adulta é surpreendente", explicou.
 
"Nós também notamos que, assim como nas crianças, a incidência de alergias alimentares em adultos está aumentando em todos os grupos étnicos", acrescentou.
 
Segundo o jornal O Globo, a alergia alimentar mais comum entre adultos é de mariscos, com incidência de 3,6% - o número aumentou 44% desde 2004. A alergia a nozes e castanhas também aumentou: 1,8% dos adultos norte-americanos são afetados.
 
Algumas alergias alimentares afetam mais adultos negros, asiáticos e hispânicos, a exemplo de mariscos e amendoim. 
 
 
BN.

Ansiedade é transtorno mental mais frequente no mundo

Postado dia 20 de Novembro de 2017 às 09h53m

De mocinha a vilã. É assim que se resume a evolução da ansiedade. Fundamental para o avanço da espécie humana, por ser resposta fisiológica à antecipação dos perigos, ela foi fator importante para que nossos antepassados buscassem abrigos contra predadores, adotassem um sistema de vida em grupo e desenvolvessem estratégias para armazenamento de provisões. Passado o tempo em que estes fatores exigiam do homem a manutenção da mente sob um estado permanente de alerta, tornou-se um dos principais vilões da vida moderna, interferindo negativamente na rotina de milhares de pessoas.
 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), dentre os transtornos mentais, os de ansiedade são os mais frequentes. 264 milhões de pessoas sofrem com o problema, uma média de 3,6% e alta de 15% em comparação a 2005. O Brasil é o país com os maiores níveis: 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade, segundo a OMS. Pesquisas internacionais recentes também demonstraram a existência de uma conexão biológica entre ansiedade, estresse e depressão. Exemplo é um estudo publicado pela revista Inglesa Nature Neuroscience, que defende que o estresse provoca uma espécie de estado inflamatório no cérebro, em decorrência da liberação maciça de citocinas. A perpetuação deste estado, em longo prazo, leva a uma neurotoxicidade que pode ser causa imediata da depressão.
 
A boa notícia é que a prática regular de atividades físicas, de lazer e descanso, além de meditação e massagens, alimentação balanceada e uso de medicamentos fitoterápicos são caminhos eficientes e mais naturais para o controle da ansiedade. "Compostos à base de Passiflora incarnata L. – o maracujá vermelho – podem auxiliar no controle da ansiedade, pois minimizam os efeitos do problema e melhoram a qualidade do sono", explica Olavo Rodrigues, superintendente de Desenvolvimento de Produtos e Assuntos Regulatórios da Natulab, farmacêutico clínico e mestre em Biotecnologia.
 
Utilizada em diversos países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Alemanha, Suíça e Índia, além do Brasil, a passiflora atua em células específicas do Sistema Nervoso Central, que atuam através do neurotransmissor ácido gama-aminobutírico (GABA), – principal substância inibitória no sistema nervoso central dos mamíferos – regulando a excitabilidade neuronal. "Nos estados de ansiedade, a ativação do sistema GABA com uso da Passiflora incarnatal. proporciona o relaxamento e reduz o estado de tensão, agitação, irritação e impaciência nervosa", destaca Rodrigues.
 
 
 
Fonte: BN.

Saiba quem são os homens de confiança de Temer que estão sob suspeita

Postado dia 19 de Setembro de 2017 às 08h31m

BNews

Em Nova York, Temer abre nesta terça debate da Assembleia Geral da ONU

Postado dia 19 de Setembro de 2017 às 06h00m

G1

Histórico de Conteúdo

Enquete

Você é a favor da Redução da Maioridade Penal para 16 anos?

Resultado

©2013 Elite Estratégias Políticas - Todos os direitos reservados