Salvador, 12 de Novembro de 2018 - Tel: (71) 2104-1959

Rui acredita em ‘excelente desempenho’ de Haddad

Rui acredita em ‘excelente desempenho’ de Haddad O petista disse que não tem visto um crescimento do adversário Jair Bolsonaro

05/10/2018

Empresários, advogados e deputados são maioria entre candidatos

Empresários, advogados e deputados são maioria entre candidatos Em meio às 29.090 candidaturas apresentadas nestas eleições, há um astrólogo, dois bailarinos, oito artistas de circo, nove catadores de recicláveis, 20 ambulantes e feirantes, além de 24 empregados domésticos, 47 artesãos e 110 religiosos

05/10/2018

Newsletter

Cadastre seu email para receber novidade por email.

Nome:

Email:

Fotos e Vídeos



Facebook

Home
O líder da oposição na Câmara de Salvador, o vereador José Trindade (PSL), classificou como um absurdo o desdobramento da licitação do primeiro trecho do BRT, que foi suspenso pela Justiça após mandado de segurança da empreiteira OAS. O juiz Ruy Britto, da 6ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, determinou a suspensão do certame sob pena de multa à prefeitura. A construtora baiana teria feito questionamentos sobre os trâmites da licitação à comissão, mas não teria obtido retorno. Segundo o secretário de Mobilidade, Fábio Mota, a companhia se manifestou quando já teria expirado o prazo para tal. Em conversa com o BNews, Trindade disse que esse caso do BRT "é mais uma caixa-preta da prefeitura". "Esse projeto foi dado à prefeitura por quem? Foi uma grande empresa da Bahia que ofereceu o projeto. Eu perguntei isso a Fábio Mota no programa Se Liga Bocão, na rádio Itapoan, e ele respondeu ao vivo que nao sabe quem fez. Como é que um empreendimento envolvendo estas cifras cai no colo do secretário de Mobilidade e ele não sabe quem ofereceu?", questionou o oposicionista. "Tudo na prefeitura é envolto numa caixa preta, ningum pode saber de nada. Desde o início, desde a formatação do projeto que já havia interesses escusos sobre isso", sugere o vereador Trindade.
O presidente da Frente Parlamentar das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas, deputado federal Antonio Brito (PSDBA),fez um pronunciamento, nesta tarde (7), durante o Grande Expediente da Câmara dos Deputados. Em seu discurso, o parlamentar destacou a relevância das Santas Casas para a saúde brasileira, sobretudo como maior parceira do Sistema Único de Saúde (SUS), assim como abordou a situação de dificuldade enfrentada por estas entidades para manter o seu funcionamento. Entre diversos pontos apresentados, Brito ressaltou que as Santas Casas estão em um processo de aprimoração constante do seu sistema de gestão, com enfoque no gerenciamento de crise, e tem encontrado no Ministério da Saúde empenho para solucionar as dificuldades do setor com medidas emergenciais. Exemplo disso é a implementação do credenciamento e habilitação de diversos novos serviços para inúmeras entidades. Porém, ainda há a necessidade rever a forma de financiamento pelo SUS, que devido ao seu subfinanciamento, tem gerado desequilíbrio entre custos e receitas das instituições. O deputado destacou o papel da Frente Parlamentar em diversas conquistas do setor, a exemplo dos lançados pelo BNDES e Caixa Econômica Federal das linhas de crédito Caixa Hospitais e BNDES Saúde, assim como o Programa de Fortalecimento das Entidades Privadas Filantrópicas (PROSUS), iniciativa que concede a moratória das dívidas tributárias dessas entidades. Brito também salientou a criação da Comissão Especial para analisar o Projeto de Lei nº 7.606/2017 (PLS 744/2015 do Senado Federal), de autoria do eminente senador José Serra (PSDB/SP), que cria o Programa de Financiamento Preferencial às Instituições Filantrópicas e Sem Fins Lucrativos que atuam na área da saúde (ProSantas Casas). Esta proposição tem como objetivo criar, no âmbito das instituições financeiras oficiais federais, uma linha de crédito com juros diferenciados, com prazo para pagamento para reestruturação patrimonial de 15 anos, com 2 anos de carência; e, para capital de giro, 5 anos, com 6 meses de carência. O Projeto prevê ainda um montante de R$ 10 bilhões, divididos em 5 anos, a serem consignados no Orçamento Geral da União. Durante o pronunciamento, Antonio Brito foi aparteado pelos deputados Pastor Eurico (PHS/PE), Jones Martins (PMDB/RS), Bacelar (PODE/BA) e Goulart (PSD/SP), que destacaram a atuação do parlamentar em benefício das Santas Casas brasileiras.
É praticamente impossível, segundo a coluna Radar Online, da Veja, que o ex-presidente Lula seja denunciado na Operação Zelotes, que investiga um suposto esquema de venda de Medidas Provisórias durante o governo petista. A Polícia Federal indiciou Lula no dia 15, sustentando que ele praticou corrupção passiva. No Ministério Público, porém, há um entendimento de que a investigação não encontrou provas substanciais da participação do ex-presidente. Nesse caso, o inquérito será arquivado.
No próximo dia 9, durante a 25ª edição da Brazil National Tourism Mart (BNTM), a Secretaria de Turismo espera contar com a presença de diretores da nova gestora do aeroporto de Salvador, a empresa Vinci Airports - que administra 85 aeroportos no mundo [dois deles no Japão e todos os aeroportos de Portugal]. Ainda segundo explicou Alves durante coletiva nesta segunda-feira (5), no Hotel Fiesta, a empresa inicia a partir de 28 de julho uma gestão compartilhada com a Infraero antes de assumir integralmente. Conforme José Alves, os diretores pretendem dar “a cara de Salvador ao aeroporto” e fazer com que os turistas tenham vontade de voltar assim que passarem pelo equipamento. Sobre o BNTM, o secretário de Turismo diz ter expectativa positiva. "A gente entende que é um momento muito propício para se fazer negócio", afirmou ao BNews.
Com o término da campanha de vacinação contra a gripe para os grupos prioritários (idosos, crianças, gestantes, trabalhadores da área da saúde, entre outros), 14 estados mais o Distrito Federal anunciaram que vão oferecer também para o restante da população a partir desta segunda-feira (5). Os estados que já confirmaram a liberação foram Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Maranhão, além do Distrito Federal. Já os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Pernambuco e São Paulo não irão liberar a vacina pelo Sistema Único de Saúde. Em outros 7 estados, ainda não há definição sobre a liberação: Piauí: A secretaria estadual de saúde afirmou que a liberação não começa na segunda-feira, pois nessa data será feita uma reunião para definir os detalhes. Já a Fundação Municipal de Saúde de Teresina confirmou o início da vacinação para segunda. Paraná: Segundo a Secretaria de Saúde, "a ampliação da oferta da vacina da gripe para outros grupos dependerá de análise técnica da comissão de infectologia" do órgão, "em consenso com os municípios". Rio Grande do Norte: A Secretaria Estadual de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) disse que vai haver uma reunião na próxima segunda para decidir que medidas serão adotadas. Tocantins: A Secretaria de Estado da Saúde disse que ainda não recebeu a norma técnica sobre a liberação e só vai definir se poderá aderir a determinação na segunda-feira. Minas Gerais: a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que, até o momento, não tem um posicionamento sobre a ampliação da vacinação no estado. O órgão disse ainda que deve haver uma definição nesta segunda. Paraíba: Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, a ampliação depende de uma análise técnica que vai ser realizada em parceria com os municípios. Rondônia: A Secretaria de Saúde de Estado diz que ainda vai analisar a questão, mas deve definir ainda nesta segunda. Sobra de estoques Na sexta-feira (2), o Ministério da Saúde anunciou a liberação para todas as faixas etárias nesta segunda, enquanto durarem os estoques. Segundo o órgão, a medida só é válida neste ano. De acordo com o ministério, cada secretaria estadual de saúde terá autonomia para definir se libera ou não a vacinação para todas as faixas etárias. “Neste ano, tivemos poucos casos por influenza devido à baixa circulação do vírus. Em consequência disso, o público-alvo procurou menos os postos de saúde. No entanto, ainda há 10 milhões de doses de um montante de 60 milhões adquiridas. Para que não haja desperdício, já que estas vacinas só valem por um ano, decidimos estender a todas as faixas etárias, enquanto durarem os estoques”, disse em nota o ministro da Saúde, Ricardo Barros.
Na última semana, mais precisamente na quinta-feira (1) e sexta-feira (2), o cantor Gilberto Gil esteve em solo soteropolitano para participar de duas festividades. A primeira do recebimento do título de cidadã soteropolitana outorgada pela Câmara de Vereadores a sua esposa Flora Gil e a segunda nas comemorações da passagem do aniversário dela. Gil, baiano, com residência no Rio de Janeiro, nunca deixou de lado sua terra natal. O filho de médico e de professora primária, se formou em Administração pela Ufba e desde da década de 60 se envolveu com o cenário musical e cultural, foi expoente do movimento Tropicalista. Algum tempo depois também se aprofundou no cenário político quando foi eleito vereador em 1988 e, posteriormente, entre 2003 e 2008, chegou a ser ministro da Cultural no governo Federal. Apesar de um momento de saúde fragilizada no último ano, Gilberto Gil, 74 anos, mostra força de vontade para continuar tocando sua vida fazendo o que mais gosta: música. Em um rápido bate papo com o BNews, o cantor falou da sua relação com Flora Gil, não quis se aprofundar muito nos comentários políticos, criticou a gestão cultural pública no Brasil e relembrou seus tempos de vereador da cidade. BNews: Gil, creio que para sua família é um momento histórico. O título de cidadã soteropolitana a Flora é a oficialização do vinculo dela com Salvador? Gilberto Gil: É um olhar possível. Isso é uma oficialização da relação de Flora com essa cidade que ela tanto ama. É uma Casa que representa o povo, o município, tem essa envergadura e esse título pode significar isso e dar esse peso. Oficializou o casamento com Salvador. BNews: Mas bem antes dessa casamento dela com a cidade, vem o seu com ela... Gilberto Gil: Olha, é a melhor companheira que eu poderia ter. Eu fiz uma música para ela e que falava dessa importância da chegada dela em minha vida e que essa chegada se transformasse em uma permanência para o resto da vida e tá parecendo que é isso que vai ser (risos). É a minha companheira de 37 anos que já estamos juntos. Ela se familiarizou muito com meu modo de vive. Ela passou a participar da minha vida cultural, pois ela assumiu a gestão da minha carreira e isso forçou uma aproximação ainda maior entre nós. E é isso. "A minha opinião eu pensei, pensei e pensei e acabei concluindo que as palavras dizem sim e os fatos dizem não" Gil sobre o cenário político BNews: Mudando de assunto, queria saber qual a sua opinião sobre o cenário político neste atual momento? Você já foi vereador e ministro ao tempo que é um cantor muito conhecido e tem essa sensibilidade crítica tanto da visão de quem já foi político quanto da área cultura... Gilberto Gil: Eu não acho importante minha opinião. Começa por aí. Até por causa da quantidade de opiniões extraordinárias que são manifestadas hoje em dia. Por todos os meios e de todas as procedências. Opiniões de todos os quilates e tudo. Então não acho importante. Mas como todo cidadão... eu até escrevi um música que tô gravando que diz mais ou menos assim: “ok, ok, ok, ok já sei que querem a minha opinião, um papo reto sobre o que pensei, como interpreto a tal vil situação” e eu concluo dizendo que “então não falo, músico e poeta, me calo sobre a certeza e os fins. Meu papo reto sai sobre patins, a deslizar sobre os alvos e as metas”. Ou seja, a minha opinião eu pensei, pensei e pensei e acabei concluindo que as palavras dizem sim e os fatos dizem não. É muita coisa pra ter opinião. Mas a gente chegou a viver tempos muito mais terríveis e com déspotas menos esclarecidos que os atuais (risos). BNews: E a gestão cultural no Brasil? Mudou alguma algo de um tempo pra cá? Gilberto Gil: Nada. Sempre foi um problema no ponto de vista da participação do Estado, por conta de uma visão... primeiro, quase que assistencialista que todo o Estado tem com os grandes setores culturais e universos dos produtores e criadores de cultura, depois por causa ainda da falta de verba, que não tem verba... e essa falta que também ajuda a não desenvolver novos quadros, preparados, para gerir cultura no Brasil. Não se faz relação de uma integração interessante com os meios produtivos da cultura. A gestão pública, vendo por esse ângulo dos municípios, Estados e União, é uma dificuldade muito grande no Brasil. São instituições pauperizadas e sem força para se qualificar, embora muito desejo, muita ambição e qualificação, muito sonho... a realidade, contudo, é muito dura. BNews: Você está aqui na Câmara, no Paço Municipal, local no qual exerceu seu mandato de vereador em 1989. O que você guardou de lembrança daqui? Gostou de ter passado pela vereança? Gilberto Gil: Gostava, gostava sim! Eu relativamente assíduo. Vinha e participava das sessões. Era época da confecção da lei orgânica do município que corresponde a constituição. Tínhamos tidos a constituição nacional que foi seguida pela constituição estadual e a LOM. Então era momento de muita efervescência interna no sentido de recomposição da estrutura institucional da Câmara. E ali eu tive participação, trouxemos a questão ambiental para os conjuntos das questões. Criamos uma comissão de Meio Ambiente aqui. A questão cultural também tinha uma preponderância interessante até porque era uma época que a gestão municipal, através da prefeitura de Mário Kértesz, tinha também um certo empenho com a relação cultural da cidade... e o convívio com os pares, com os vereadores, também era interessante. Tinha um convívio com os velhos que estavam aqui há muitos anos como Osório Vilas Boas e outros e tinha uns novos chegando comigo. Foi um tempo interessante. Tinham os embates e ainda hoje eu tava vindo com uma amiga que foi minha assistente de gabinete, a época, e ela tava lembrando que “puxa vida, tempos mais calmos hoje, né?” (risos). Ela lembrou quantas vezes saímos daqui cercados de gente querendo, enfim, agressivamente, enfim, manifestar suas ideias e insatisfações. É um leque de memórias de todos os esses tipos: de coisas boas, não tão boas, colegas interessantes, de gente de todo tipo e o trabalho que fazíamos pela cidade. Bocão News: E, para encerrar, tem alguma novidade sua? Algum lançamento? Gilberto Gil: Breve vocês vão conhecer. Eu tô fazendo um disco. Essas estrofes que recitei para você são de uma música que fará parte desse disco. Ainda estamos preparando.

Lula diz que já provou inocência e pede fim da 'palhaçada'

Postado dia 01 de Junho de 2017 às 23h44m

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (1º), ao discursar na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, em Brasília, que já provou a inocência e pediu o fim da "palhaçada" das acusações contra ele. Lula é réu no âmbito das operações Lava Jato e Zelotes. O Ministério Público Federal o acusa, por exemplo, de ter sido beneficiado com o esquema de corrupção que atuou na Petrobras, o que o ex-pesidente sempre negou. "Eu não quero que vocês se preocupem com meu problema pessoal. Esse, eu quero decidir com o representante do Ministério Público, da Lava Jato. Quero decidir com eles. Eu já provei minha inocência, agora vou exigir que eles provem minha culpa, porque cada mentira contada será desmontada", disse o ex-presidente. "Eu e Dilma temos até conta no exterior. Eu nem sabia que ela tinha e ela não sabe que eu tenho. Um canalha diz que fez uma conta para mim e uma para a Dilma, mas que está no nome dele. E ele mexe com a grana. Então, é o seguinte: chegou o momento de parar com a palhaçada nesse país. Esse país não comporta mais viver nessa situação de achincalhamento e o Partido dos Trabalhadores tem de dar uma resposta clara para a sociedade", acrescentou Lula. No congresso do PT, que irá até sábado (3), o partido elegerá o novo presidente nacional da sigla. Até a noite desta quinta, havia três candidatos: os senadores Gleisi Hoffmann (PR) e Lindbergh Farias (RJ), além de um nome ligado ao movimento negro, José de Oliveira. Além disso, será debatido no congresso do PT um documento em que o partido critica a Operação Lava Jato, que ajudou a instalar uma "justiça de exceção" com o "objetivo de destruir o PT" e o ex-presidente Lula.
Estão abertas desta quinta-feira (1º) até o próximo dia 8 de junho, as inscrições para o curso Universidade Para Todos (UPT), que é preparatório para o vestibular e para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O curso é promovido pela Secretaria da Educação do Estado e oferece 16,4 mil vagas para Salvador e mais 228 localidades da Bahia. A ação é desenvolvida em parceria com as universidades estaduais UNEB, UEFS, UESB e UESC. As inscrições serão realizadas, exclusivamente, no Portal da Educação (educacao.ba.gov.br/universidadeparatodos). Poderá concorrer a uma vaga o candidato que for egresso do Ensino Médio das redes estadual ou municipal do estado da Bahia. Também podem concorrer estudantes das redes públicas estadual ou municipal matriculados, em 2017, nas seguintes situações: 3º ano do Ensino Médio Regular ou suas modalidades correspondes, do 4º ano da Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio ou suas modalidades correspondentes. Todos estes estudantes precisam ter concluído o Ensino Fundamental II (5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes), e a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio Regular ou modalidades correspondentes nas redes estadual ou municipal no Estado da Bahia. O curso oferece aulas regulares, de segunda a sexta-feira, de Português, Redação, Matemática, Física, Química, Biologia, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), História e Geografia, além de atividades complementares como seminários, oficinas, revisão para o ENEM, aulões, simulados e orientação vocacional. O curso oferece aos alunos ainda material didático, fardamento e isenção da taxa de inscrição em processo seletivo das universidades estaduais aos alunos que apresentarem frequência igual ou superior a 75% das aulas ministradas. CLIQUE AQUI E CONSULTE ONDE ESTÃO LOCALIZADAS AS 16,4 MIL VAGAS A seleção é feita através das médias de Português e de Matemática que são lançadas pelo candidato no ato da inscrição e conferidas no ato da matrícula. A matrícula será realizada entre os dias 3 a 7 de julho, no local e turno que o aluno optou para estudar. Para se matricular, é preciso apresentar cópia e original do CPF, RG, comprovante de residência, além do Histórico Escolar do Ensino Médio e do Ensino Fundamental II. As aulas começam no dia 3 de julho e vão até dezembro de 2017.
O processo de oferta pública do Hospital Espanhol, ocorrido na manhã desta quarta-feira (31), só recebeu uma proposta, de autoria do Instituto de Gestão e Humanização na Bahia (IGH). A quantia oferecida foi de R$ 123 milhões, menor do que o valor mínimo estipulado pelo Tribunal da Região do Trabalho da 5ª Região para a compra, que foi de R$ 195 milhões. A comissão de trabalhadores demitidos do Espanhol rejeitou a proposta por unanimidade. Além de estar R$ 72 milhões abaixo do valor previsto no edital de venda do equipamento, a proposição estabelece que do total oferecido, R$ 120 milhões fossem repassados aos trabalhadores e R$ 53 milhões a Desenbahia. A dívida trabalhista da instituição de saúde com os ex-funcionários é de cerca de R$ 130 milhões. “Já manifestamos na audiência nosso posicionamento contrário, vamos fazer uma petição reforçando este posicionamento. Para nós, até a abertura do leilão, o valor aceito é o da avaliação, que é de 195 milhões, colocado pelo juiz”, disse um dos advogados que representam a comissão de trabalhadores, Oziel Guimarães. Segundo o coordenador do setor de execuções do TRT Rogério Fagundes, para justificar o valor abaixo do estipulado pelo edital de venda o instituto alegou que o prédio e os equipamentos já apresentavam sinais de deterioração por causa da chuva, além das dificuldades para colocar o Espanhol para funcionar novamente e da situação atual do mercado. Planserv A proposta chama a atenção pelos detalhes. Além de condicionar à venda ao repasse ao órgão de fomento do estado, pede que quando o hospital atenda aos funcionários públicos do Estado. “A Desenbahia receberia 53 milhões e teria que aceitar que o Planserv aderisse como rede credenciada, fatos que são estranhos ao processo trabalhista”, disse o coordenador do setor de execuções do TRT5, Rogério Fagundes. O valor de R$ 53 milhões é exatamente o que foi emprestado à Real Sociedade Espanhola de Beneficência pelo Desenbahia, entidade que estava por trás da instituição de saúde, sem aplicação dos juros e correção monetária. Porém, afora isso, o Hospital ainda deve à Caixa Econômica Federal pelo menos R$ 57,6 milhões decorrente de outra operação de crédito, impostos à Prefeitura e pagamentos aos seus antigos fornecedores. Agora a proposta será analisada pelos juízes Thiago Ferraz e Júlio Massa. Se a proposta não for aceita o equipamento deve ir a leilão no dia 7 de junho na sede do TRT5.

Reunião entre vigilantes e sindicato patronal termina sem acordo

Postado dia 30 de Maio de 2017 às 13h59m

A reunião entre os representantes do Sindicato dos Vigilantes e do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado da Bahia (Sindesp) terminou sem acordo. A nova rodada de negociação foi agendada para a quinta-feira (1º), até lá, a categoria segue em greve. Pela manhã, um grupo de seguranças e vigilantes fez uma manifestação e uma caminhada na região do Iguatemi. Os representantes dos dois sindicatos se reuniram na Superintendência Regional do Trabalho (SRT-BA), na Avenida Tancredo Neves. O encontro começou, por volta das 14h30 e, depois de quase 4h de conversação, a reunião foi encerrada sem acordo. As negociações começaram em fevereiro e a greve foi decretada na semana passada, no dia 24 de maio. Foto: Tailane Muniz/CORREIO O Sindicato dos Vigilantes acusa o sindicato patronal de intransigência e de tentar alterar um Termo de Ajustamento e Conduta (TAC) assinado com a categoria em 2012, para prorrogar a jornada de 12h de trabalho. A categoria pede que o piso salarias passe de R$ 1.002 para R$ 1.500, aumento de 7º, e reajuste no tíquete alimentação, além de cota de 30% para mulheres em todos os cargos, mas dizem que os patrões ofereceram apenas 1% de aumento. Procurados, os representantes do Sindesp não foram localizados para comentar o caso. Em nota publicada no próprio site, o sindicato patronal acusa o sindicato dos vigilantes de também ser intransigente, de divulgar informações incorretas e fala da "necessidade dos vigilantes executarem horas extras, de forma voluntária". "O Sindesp/BA busca de todas as formas o entendimento com o Sindvigilantes, Sindmetropolitano e SVIItabuna, sem sucesso devido a intransigência de seus representantes, que se recusam a reconhecer a necessidade do vigilante executar horas extras, de forma voluntária. A responsabilidade com a proteção do patrimônio guarnecido é função básica do nosso trabalhador, não sendo possível, simplesmente desconsiderar o posto serviço como demonstra a postura adotada pelos sindicatos laborais na mesa de negociação", diz o comunicado. A próxima rodada de negociação será no Mistério Público do Trabalho (MPT), no Corredor da Vitória, na tarde de quinta-feira. Segundo o sindicato que representa os trabalhadores, existem 32 mil vigilantes na Bahia. Em Salvador, são cerca de 12 mil trabalhadores, atuando em agências bancárias, escolas, shoppings, museus e outros estabelecimentos.

Histórico de Conteúdo

Enquete

Você é a favor da Redução da Maioridade Penal para 16 anos?

Resultado

©2013 Elite Estratégias Políticas - Todos os direitos reservados